sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

D E S P E D A Ç A D O



Em linhas mal traçadas
Se fez o meu destino
E das emoções caladas,
Se fez o desatino.


Quando vi que sua ausência
Passou a seguir meus passos
Senti tamanha urgência
Em ter o teu abraço.


E com minhas mãos atadas
N’um sofrimento repentino
Li em palavras rabiscadas
O quanto meu coração é cretino...


Em meu peito uma ardência
E um ligeiro descompasso
Me mostrou em evidências
Que nosso amor está em pedaços.

5 comentários:

Adolfo Payés disse...

Gracias por hacer de este momento de lectura algo especial..

¨Hermoso cuando la poesía es todo en el sentir.. nace con amor la lectura..¨ Payés

Un abrazo
Saludos fraternos..

Que tengas in buen fin de semana..

Barbara C disse...

Natizinha voltou valeu pela visita.

Gostei deste profundo poema!

Beijos

Natalia Araújo disse...

Naty, você fala de um amor assim... com tanta veemência.
Tão intenso isso!
Fala de um amor triste, sofrido... mas é tão lindo ler.

Gosto muito.

Beijão.

Natalya Nunes disse...

Eu e a minha mania de falar de amores tristes...

Fouad Talal disse...

Amor e tristeza frequentemente se encontram.... não se preocupe!

Um beijo!
www.versosdecor.blogspot.com

Postar um comentário