quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A Falta que me faz

Sinto falta dos teus olhos
Misteriosos, incandescentes...
Do cheiro do teu perfume
E das propostas indecentes.
Das tuas crises de ciúme,
Das tuas birras, teus queixumes...
Sinto falta dos teus defeitos
Das tuas caretas e sorrisos
Ouvir meu coração, junto a teu peito
Que era sempre o meu abrigo.
Sinto falta da tua voz
E da toalha jogada na cama
Até das brigas entre nós.
E de ouvir você dizer que me ama.
Sinto falta dos teus beijos
Das carícias e abraços
Dos perigos e desejos
De estar sempre em teus braços.
Sinto falta da saudade
Que eu tinha de você
Mas prefiro a liberdade
E o melhor é te esquecer.




4 comentários:

Gordinha disse...

Belo de um fora, hein! hahhaha! Para mim a melhor parte é quando se dá a volta por cima, sem dúvidas, dá aquela vontade de gritar que tá tudo bem e que superou ou supera ficar sem a pessoa!

Bj da Gordinha!
=D

Adolfo Payés disse...

Que hermoso poema. muy lindo.. post.
Es un placer visitarte y disfrutar tu espacio..

Te dejo mis mejores vibraciones y deseos de paz y amor para estas fiestas navideñas y de año nuevo 2010...

Un abrazo
Saludos fraternos..

Barbara C disse...

Prefiro a liberdade ,ou já que nao tem opção.

Natalya Nunes disse...

Opção, razão, coração...
Pelo sim ou pelo não, acho que tudo não passa de inspiração...

Deus me livre sofrer tudo isso que meu eu-lírico sofre..rsrs

Obrigada pelas visitas constantes, gente!

Beijos!

Postar um comentário