quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Eu, que não sou poeta

Eu, que não sou poeta
e não tenho todas as linhas
e nem palavras para te escrever

Tampouco sei a hora certa
que senti tuas mãos nas minhas
e vi o mundo amanhecer

Eu, que não sou poeta
Guardei as folhas daquele outono
e escrevi a nossa história

História perfeita, completa...
que na eternidade, visiono
as suas lembranças na memória.

Eu que não sou poeta
 e que não sei falar de amor
encontrei as palavras em teu olhar.

O coração tem porta aberta
meu peito tem o teu calor
e minhas poesias, o verbo amar.

5 comentários:

Nathi Delacroix disse...

*-*

Lindo, lindo..
Algumas partes me lembrou "Sobre meninos e meninas", rs...



Feliz Dia do Poeta

Marcelo Zaniolo disse...

Claro que és poeta, oooow.
Olha que poema lindo que tu fez! Hehe

Bem lindo, Nati.
Beijo e um bom resto de semana pra ti.

Felipe Carriço disse...

Bem bonito, Nathy!

Brunno Lopez disse...

Poemas de bom gosto, poucos fazem.
Poucas eu aposto, novidades trazem.
Enxergo a sensibilidade à distância
O poder das suas palavras em relevância.

Pode ser a poetisa como um ator deseja o palco
Ou um carro novo deseja o asfalto.
Ou a modelo que deseja o salto.

Vou seguir.

Dani Brito disse...

Naty, de poeta e louco, todo mundo tem um pouco, minha linda!!!
O amos desperta nossa inspiração..

Aii eu acredito no amor também, sou meio brega, tbm ouço musicas do seculo passado, só não coloco cartas nos correios, mas escrevo cartas para amigas, mãe e tudo mais...acho que é isso que sustenta o amor: os detalhes...rs
adorei o coment viu?!
rsrs
Beijão!!!!
=)

Postar um comentário